Sobre os dois últimos posts…

Já vieram me questionar o PORQUE de eu escrever sobre 2 artistas estrangeiros já que o Blog, supostamente, é dedicado a música brasileira. Explico:

Tanto o Mick Hucknall (Simply Red) quanto a Feist bebem na nossa fonte a muuuito tempo. É só ouvir os arranjos tanto do DVD do Simply Red como os CDs da Feist para sentir algo bem familiar, um toque bem brasileiro.

Não custa comentar que eu mesmo já topei com o Mick Hucknall mais de uma vez no Rio (uma na cidade e outra em Búzios). Nesse período eu lia na mídia que ele gosta muito de vir ao Brasil a muito tempo, desde a vinda do Simply Red ao Rock In Rio, para pesquisar nossa música e nossa cultura.

Como para mim a Feist é novidade, não sei bem o que ela pensa de nós. Mas TENHO CERTEZA de que se ela nunca veio aqui, deve ou ouvir muito nossa música ou ter músicos brasileiros tocando com ela. A referência é clara.

Dito isso, espero que tenha deixado claro a real referência que encontrei nestes dois gringos (doidos para terem nascido aqui!! hehehehe) e vamos em frente que tem muita música boa a ser descoberta e exposta.

Bom final de semana a todos!

Edd.

Simply Red – Cuba!

DVD Simply Red - Cuba!

DVD Simply Red - Cuba!

Eu já devia ter falado deste DVD a muito tempo mas sempre tive preguiça. Pois bem…

Eu comprei a algum tempo (pelos menos uns 2 anos) o DVD do show do Simply Red gravado no El Grand Teatro de Cuba. Este show foi um trabalho de mais de 2 meses de preparação na ilha dos Castro, onde o lider e cantor Mick Hucknall foi juntando os pedaços para este registro absurdo da carreira do grupo. Foi adicionado ao grupo o naipe de cordas da Orquestra do Teatro de Cuba assim como bailarinos de um grupo cubano de dança contemporânea. Ah, e teve um trompetista (que me esqueci o nome) que foi “convocado” para o solo de “Perfect Love”, quebrando tudo! Muito bom!

O show já começa de forma inusitada (não vou contar para não perder a graça de quem ainda não viu) e, partindo de voz e piano, a cada música o palco vai sendo montado – na frente do público – ganhando músicos e formas até estar completo, fantástico!

O repertório, como não poderia deixar de ser, seguiu a linha dos “hits” do Simply Red (sem o MENOR problema!) mas com o detalhe de seguir os arranjos do álbum “Simplified”, tudo no melhor estilo “acústico”.

Além das versões impecáveis para os eternos sucessos, a iluminação, e todos os detalhes do DVD merecem serem vistos várias vezes. O som (DTS) ficou muito bom também.

Feist

Capa do CD

CD Let it Die

Estive no Rio neste feriado onde me encontrei com a minha amada e multi-talentosa prima Renata Gebara. Como sempre fazemos, nos encontramos para falar – dentre tantos outros assuntos – de música. Sempre trocamos umas figurinhas pois ela, assim com eu, resolveu atacar de DJ.

Trocando informações e sons, ela me mostrou 2 CDs da cantora Feist (Let it Die & The Reminder). Estes álbuns contém uma combinação de jazz, bossa nova e indie rock, na medida certa.

Fiquei muito bem impressionado pela qualidade despretensiosa das músicas. Todas em uma levada gostosa e, na sua maioria, intimistas. Uma delícia para se ouvir a qualquer momento. Recomendo!

De todas as músicas (dos 2 CDs), a que eu mais gostei foi INSIDE AND OUT, do CD Let It Die.