A Árvore da Música na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

Segue release enviado pelo meu grande amigo Otavio, diretor deste belíssimo documentário. Tive o privilégio de ver alguns trechos. A qualidade da fotografia aliada aos músicos de primeiríssima linha (dão depoimentos, canjas…) é ABSURDA.

Para quem gosta de música, história da música, instrumentos musicais e natureza, vai se emocionar. Esse é pra comprar (quando lançarem em DVD – Blue Ray?) e ter em casa para ver sempre. Segue:

A InterFace Filmes e a North Produções convidam para a exibição do documentário “A Árvore da Música”, dirigido por Otavio Juliano e produzido por Luciana Ferraz e Rogerio Ribeiro na 33ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Domingo – 25/10/2009 – 19:10hrs
UNIBANCO ARTEPLEX 4 – SHOPPING FREI CANECA
Rua Frei Caneca, 569

Segunda – 02/11/2009 – 16:00hrs
CINEMA DA VILA
R. Fradique Coutinho, 361 – Pinheiros

Terça – 03/11/2009 – 14:00hrs
MIS MUSEU DA IMAGEM E DO SOM
Avenida Europa, 158 – Jardim Europa

Considerado pelo IBAMA espécie da flora brasileira em perigo de extinção, o pau-brasil é matéria prima insubstituível na confecção de arcos de violino e outros instrumentos de corda desde meados de 1700.

O premiado filme documentário “A ÁRVORE DA MÚSICA” resgata o pau-brasil através da relação entre a árvore que deu o nome ao nosso país e a música.

O documentário de 78 minutos filmado em alta definição foi escolhido pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro para integrar as comemorações dos seus 200 anos. Finalizado em 2009, já foi selecionado para 10 festivais internacionais de cinema e recebeu o prêmio de melhor filme pela Imprensa/Crítica no 11o F.I.C.A. – Festival Internacional de Cinema Ambiental em Goiás.

Filmado no Brasil, Áustria e França, o documentário “A ÁRVORE DA MÚSICA” conta com as participações e performances de alguns dos mais renomados nomes da música erudita da atualidade como JOSHUA BELL, ANTONIO MENESES, MARC COPPEY, DAVID GARRETT e membros da Orquestra Filarmônica de Viena.

O futuro da música depende da preservação do pau-brasil, uma árvore a beira da extinção.

aarvoredamusica.blogspot.com

www.northproducoes.com.br

Maria Gadú

Maria Gadú

Não sei se todos já ouviram falar de Maria Gadú. Ela é considerada a nova sensação do cenário musical brasileiro. Uma paulistana radicada no Rio, 22 anos com uma voz deliciosa. Explico: o timbre dela é daqueles meio roco, meio preguiçoso, gostoso de ouvir. Super afinada, Maria Gadú ainda tem um excelente gosto pra repertório e arranjos.

No seu CD de estréia, destaco 2 faixas: A História de Lilly Braun (Chico Buarque) e Baba (Kelly Key). Tudo é bom (tem várias levadas gostosas, vale ouvir o CD todo) mas estas duas tem um sabor especial.

A versão dela para a música do Chico ficou totalmente jazz, com muito swing, totalmente solta. Com certeza Chico deu um sorriso…

A releitura de Baba (aquela Baba Baby) me impressionou mais pelo fato de, na sua versão original, ter ficado com uma cara específica – aquela cara de que vai ser aquilo e nunca ninguém vai querer mexer com ela.. Engano total: a versão da Maria Gadú, acústica, deixou espaço para se ouvir sua voz envolvente e a música ainda ganhou nova vida no arranjo intimista e exato. Sem mais nem menos. Foi o que tinha que ser. Mais um ponto pra ela.

No CD tem ainda uma versão de “Ne Me Quitte Pas” (Jacques Brel) e a famosa (tá na rádio direto) “Shimbalaiê”, que se significa algo, desconheço…