Para Uma Menina Com Uma Flor – Vinicius de Moraes

Capa atual

Capa atual

Que Vinicius foi um excelente poeta e compositor, isso eu já sabia. O lado “cronista” eu não tinha ainda tanto contato até comprar a reedição do “Para Uma Menina Com Uma Flor” – coleção de crônicas reunidas pelo próprio autor, de 1941 a 1966, dentre as várias que publicou em jornais e revistas.

É interessante notar que não vemos Vinicius falar só de “amor, sorriso e uma flor”. Neste livro, vê-se muito o lado crítico, crú e direto. Uma maneira de se entender, sob a sua visão, fatos da história do Brasil ocorridos nestes 25 anos de observação.

Capa original do livro

Capa original do livro

Além das crônicas, esta edição traz também uma variedade grande de fotos, desenhos, gravuras e bilhetes (entre Vinicius e Rubem Braga, acertando detalhes da primeira publicação do livro), além de – no final – uma entrevista com o próprio Vinicius, feita por Odacir Soares. imperdível.

Seria injusto indicar uma crônica aqui. Vale o livro todo. (ok.. talvez em coloque alguma coisa depois… )

Como curiosidade (também está descrito no livro), a “menina” foi uma dedicatória a sua esposa (a atual, na época – uma de suas NOVE esposas…) Nelita.

A Árvore da Música na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

Segue release enviado pelo meu grande amigo Otavio, diretor deste belíssimo documentário. Tive o privilégio de ver alguns trechos. A qualidade da fotografia aliada aos músicos de primeiríssima linha (dão depoimentos, canjas…) é ABSURDA.

Para quem gosta de música, história da música, instrumentos musicais e natureza, vai se emocionar. Esse é pra comprar (quando lançarem em DVD – Blue Ray?) e ter em casa para ver sempre. Segue:

A InterFace Filmes e a North Produções convidam para a exibição do documentário “A Árvore da Música”, dirigido por Otavio Juliano e produzido por Luciana Ferraz e Rogerio Ribeiro na 33ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Domingo – 25/10/2009 – 19:10hrs
UNIBANCO ARTEPLEX 4 – SHOPPING FREI CANECA
Rua Frei Caneca, 569

Segunda – 02/11/2009 – 16:00hrs
CINEMA DA VILA
R. Fradique Coutinho, 361 – Pinheiros

Terça – 03/11/2009 – 14:00hrs
MIS MUSEU DA IMAGEM E DO SOM
Avenida Europa, 158 – Jardim Europa

Considerado pelo IBAMA espécie da flora brasileira em perigo de extinção, o pau-brasil é matéria prima insubstituível na confecção de arcos de violino e outros instrumentos de corda desde meados de 1700.

O premiado filme documentário “A ÁRVORE DA MÚSICA” resgata o pau-brasil através da relação entre a árvore que deu o nome ao nosso país e a música.

O documentário de 78 minutos filmado em alta definição foi escolhido pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro para integrar as comemorações dos seus 200 anos. Finalizado em 2009, já foi selecionado para 10 festivais internacionais de cinema e recebeu o prêmio de melhor filme pela Imprensa/Crítica no 11o F.I.C.A. – Festival Internacional de Cinema Ambiental em Goiás.

Filmado no Brasil, Áustria e França, o documentário “A ÁRVORE DA MÚSICA” conta com as participações e performances de alguns dos mais renomados nomes da música erudita da atualidade como JOSHUA BELL, ANTONIO MENESES, MARC COPPEY, DAVID GARRETT e membros da Orquestra Filarmônica de Viena.

O futuro da música depende da preservação do pau-brasil, uma árvore a beira da extinção.

aarvoredamusica.blogspot.com

www.northproducoes.com.br

Naná Vasconcelos & Yamandú Costa – Release

Naná Vasconcelos e Yamandú CostaO que podemos esperar da união do maior percussionista do mundo com o maior violonista do Brasil? Naná Vasconcelos e Yamandú Costa se juntam pela primeira vez em um mesmo palco para nos responder essa pergunta.

Donos de sensibilidade e sonoridades únicas, Naná e Yamandú nos ensinam que a música pode ir muito além do que podemos imaginar.

Sozinhos no palco, os dois se multiplicam em cena criando universos que nos remetem às sonoridades mais
diversas, dos pampas a Pernambuco, criando uma mescla bela e inusitada de ritmos como o choro, a milonga, o frevo, o maracatu, entre uma infinidade de influências que coexistem neste mundo lúdico e único.

O repertório traz músicas consagradas como Brejeiro, ao lado de composições de Naná e Yamandú criadas especialmente para o projeto. Com o extremo apuro técnico que lhes é peculiar, executam Vento, Missionerita, Carnavalito, em uma simbiose de gestos e sentidos.

O violão de sete cordas dedilhado por Yamandú procura os caminhos em meio a enxurrada de possibilidades melódicas e harmônicas propostas por Naná. O público é convidado a penetrar nesse universo sem que ele mesmo tome consciência da magnitude daquela experiência, que a cada música se intensifica e muda seus próprios rumos.

É uma música generosa, ora comovente, ora engraçada.

Um encontro histórico, de onde saímos tendo a certeza de que a música nunca irá deixar de nos surpreender.

Teatro da Fecap – de 12/06/2008 a 15/06/2008 – 21hs.